terça-feira, 2 de dezembro de 2014

DEMÊNCIA NA DOENÇA DE ALZHEIMER DE INÍCIO PRECOCE

DEMÊNCIA - síndrome decorrente de uma doença cerebral, usualmente de natureza crônica ou progressiva, na qual há alteração de múltiplas funções corticais superiores (comportamentos complexos que exibimos quando acordados - conscientes), incluindo memória, pensamento, orientação , compreensão, cálculo, capacidade de aprendizagem, linguagem e julgamento. Geralmente esses comprometimentos veem acompanhados e ocasionalmente procedidos por deterioração no controle emocional, comportamento social ou motivação. A demência ocorre na doença de Alzheimer, nas doenças cerebrovasculares e outras condições que afetam o cérebro.
A demência produz um declínio significativo no funcionamento intelectual e usualmente interfere nas atividades pessoais do dia a dia (limpeza, vestimenta, alimentação, higiene pessoal, atividades fisiológicas).
O requisito primário para o diagnóstico é a evidência de um declínio tanto na memória quanto no pensamento.




DEMÊNCIA NA DOENÇA DE ALZHEIMER DE INÍCIO PRECOCE




A doença de Alzheimer é uma doença cerebral degenerativa de etiologia (causa, início) desconhecido, com aspectos neuropatológicos (doenças do sistema nervoso) e neuroquímicos característicos (processos químicos do cérebro). Instala-se  geralmente de modo vagaroso, e desenvolve-se lenta mas continuamente por um período de anos; estes por sua vez pode ser tão curto como 2 ou 3 anos, como mais prolongados.
O início pode ser na meia idade ou até mais cedo (doença de Alzheimer de início pré senil), mas a incidência maior é na idade avançada.
Há alterações características no cérebro: uma redução marcante dos neurônios, em especial do hipocampo, entre outras. Também há alterações neuroquímicas, como redução marcante da enzima colina acetiltransferase (neurotransmissor  responsável pela contração de músculos (um dos principais) e pela aprendizagem e memória).



A doença de Alzheimer de início precoce inicia-se antes dos 65 anos de idade e com rápida progressão de sintomas. Há deterioração relativamente rápida, com marcantes e 

múltiplos transtornos das funções corticais superiores. Afasia (perda da fala), agrafia (perda da destreza da escrita), e apraxia (perda da capacidade de  efetuar tarefas que requerem padrões de evocação ou sequências de movimentos), ocorrem cedo no curso da demência.



História familiar dessa doença é um fator contribuinte, mas NÃO necessário para o diagnóstico.




Sintomas importantes para o início dessa doença:

  1. Perda de memória, especialmente de acontecimentos recentes;
  2. Dificuldade em executar tarefas do cotidiano, como usar o telefone;
  3. Desorientação com relação ao tempo e espaço;
  4. Problemas de discernimento, como dificuldade em se vestir de acordo com a estação do ano, por exemplo;
  5. Problemas de linguagem, como esquecimento de palavras simples associado à dificuldade de compreensão da fala e da escrita;
  6. Dificuldade em fazer contas ou mesmo reconhecer os números;
  7. Trocar o lugar das coisas, como colocar o ferro de passar roupa na geladeira, por exemplo;
  8. Alteração brusca do humor sem razão aparente;
  9. Alteração na personalidade de modo a se identificar na pessoa apatia, confusão ou desconfiança;
  10. Perda de iniciativa, com características de desinteresse pelas atividades habituais.
Infelizmente a doença de Alzheimer é atualmente irreversível.

 


(Bibliografia de apoio CID-10/ F00.0)

                                                     FLÁVIA ABIB


Nenhum comentário:

Postar um comentário