segunda-feira, 3 de novembro de 2014

AUTISMO

                    



O transtorno autista é caracterizado por interação social recíproca anormal, habilidades de comunicação atrasadas e disfuncionais e um repertório limitado de atividades e interesses. Muitas dessas crianças não apresentam lateralização e permanecem ambidestras em uma idade na qual a dominância cerebral está estabelecida em crianças ditas "normais". Os autistas não apresentam sinais sutis de interação social com seus pais e outras pessoas. Seu desenvolvimento social é caracterizado por comportamento de apego prejudicado, mas não totalmente ausente. Uma característica cognitiva desse transtorno é que não conseguem deduzir os sentimentos ou o estado mental dos outros à sua volta. Tem padrões restritos, repetitivos e estereotipados de comportamento, interesses e atividades. 
Os autistas apresentam uma faixa acentuada restrita de interesses e com frequência se preocupam com uma área de interesse limitado (por ex: datas, números de telefone, etc). Podem enfileirar um número exato de brinquedos da mesma maneira repetidas vezes ou imitar por vezes as ações de um ator de televisão. Podem insistir na mesmice e apresentar resistências a mudanças triviais. Os movimentos estereotipados envolvem as mãos (bater palmas, estalar os dedos) ou todo o corpo ( balançar-se, inclinar-se abruptamente ou oscilar o corpo). Apresentam também preocupação persistentes com partes de objetos (botões, partes do corpo). Pode haver ainda uma fascinação com o movimento em geral (por ex: rodinhas dos brinquedos em movimentos, abrir e fechar de portas, ventiladores ou outros objetos com movimento giratório rápido.
(Compêndio de Psiquiatria / DSM - IV)

"Vivendo na beira do medo,
Vozes ecoam como trovão em meus ouvidos,
Vendo como eu me escondo todo dia.
Estou apenas esperando que o medo vá embora,
Eu quero muito ser uma parte do seu mundo.

eu quero muito ser bem sucedido,
e tudo o que preciso é ter uma ponte,
uma ponte construída de mim até você,
e eu estarei junto à você para sempre,
nada poderá nos separar,
se você me construir uma ponte, uma pequena, minúscula ponte
de minha alma, para o fundo do seu coração."

(Mc Kean, autista, escritor)
                                                                             Flávia Abib

Nenhum comentário:

Postar um comentário