quarta-feira, 25 de novembro de 2015

BOA NOITE!!!


SEMELHANÇA



A semelhança da herança que pulsa na veia é tamanha que, às vezes vem-me a dúvida de estar diante de um EU menor, ou, de uma FORÇA maior.


Flávia Abib




LUZ


"PSICOLOGIA CLÍNICA, PSICOTERAPIA E O ESTUDANTE DE PSICOLOGIA"

"PSICOLOGIA CLÍNICA, PSICOTERAPIA E O ESTUDANTE DE PSICOLOGIA"
(Cláudia Meira/Maria Lúcia Nunes) PUC-RS

"O PSICÓLOGO precisa pensar na sua saúde mental e na necessidade de fazer terapia pessoal, o que não pode ser imposto. Mas deve-se associar o tratamento pessoal a um valor tão forte que o próprio aluno busque sua terapia e entenda que, PARA SE COLOCAR COMO UM PSICÓLOGO, para trabalhar o crescimento das pessoas e nos relacionamentos, É PRECISO QUE ELE MESMO SE DESENVOLVA PESSOALMENTE."
                                                                                    (Guilherme Valle)



_______________________________Flávia Abib





"A DIALÉTICA DO DESEJO E DA FALTA" (Contribuição da Psicanálise para tal)

A dialética do DESEJO e da FALTA mostra-se, assim, sem consistência: enquanto ela deveria permitir ao sujeito deparar-se com o vazio, possibilitando o despertar do desejo, o que ocorre, de fato, é uma necessidade contínua de por fim à falta, instaurando um novo objeto, um novo produto, um novo falo que bloquearia qualquer alusão ao vazio. Segundo Homem (2003, p. 4), reside aí "o aspecto mais árduo da descartabilidade, uma vez que obriga o sujeito a ACORRENTAR-SE a inúmeros objetos, acabando por não exercer seu desejo que, PARALISADO E PERDIDO, coloca-o no lugar do NÃO SER." Nessa linha de raciocínio, encontra-se o que descreve Bauman (2004, p. 82) sobre as "facilidades" de comunicação na contemporaneidade. O autor destaca que "a distância não é mais obstáculo para se entrar em contato – mas entrar em contato não é obstáculo para se permanecer à parte. Os espasmos de proximidade virtual TERMINAM , idealmente, sem sobras nem sedimentos permanentes." O espaço da virtualidade brinda ao sujeito com a possibilidade da proximidade distanciada, limitada, controlada. Aliás, a exigência de habilidades decorrentes das vivências de permanência ou de intimidade parece ser um PROBLEMA a ser evitado.
Constatamos assim que o sujeito situa-se na contramão, no sentido de buscar e acreditar na possibilidade de transitar em outra via. Trata-se de um percorrido no qual o Eu possa experimentar um processo de DESCONSTRUÇÃO DE CERTEZAS, de fuga ao fascínio das imagens, de ENFRENTAR-SE COM O VAZIO E A FALTA descobrindo, assim, a fecundidade de uma experiência de autonomia e liberdade viabilizada por um genuíno processo de conhecimento do si mesmo. Significa poder trilhar um outro caminho - o caminho transferencial - de intersubjetividade, que permita ao sujeito romper com o pacto atual de cultura do NARCISISMO E DO ESPETÁCULO.
O QUE SE PODE ESPERAR DA PSICANÁLISE É A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO ONDE O INTRAPSÍQUICO É PRIORIZADO, A SINGULARIDADE RESPEITADA E A IMPLICAÇÃO DO SUJEITO EM SEU PADECIMENTO PODE SER ESCUTADA. BUSCA-SE, DESSA FORMA, POSSIBILITAR TROCAS INTERSUBJETIVAS MAIS RICAS E MENOS FUGAZES, NARCÍSICAS, PERVERSAS, VAZIAS. O QUE SE PODE ESPERAR É UM ESPAÇO ONDE O DESEJO POSSA SER RECONHECIDO, ONDE O SUJEITO RECONHEÇA-SE COMO SER DESEJANTE.
(Carolina Dockhorna / Mônica Macedo)
*********************(Título e determinados parágrafos "adaptados" por mim.)
-----------------------------------------------------------Flávia Abib



segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Boa noite!

          
                    Boa noite! Que a paz esteja com vós!
                         .............................Flávia Abib

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Mês da Diversidade


O respeito às diferenças é fundamental para a convivência em sociedade. E todos devem ter seus direitos respeitados independentemente da cor, da classe social, do gênero, da religião, da idade, da etnia ou da origem. A Constituição Federal no seu art. 5º, inciso XLII, determina que "a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito de reclusão nos termos da lei". Confira a Constituição: http://bit.ly/ZChEh1. Já a injúria racial está prevista no artigo 140, § 3º do Código Penal e prevê pena de reclusão de uma a três anos e multa.

 Veja o Código Penal: http://goo.gl/4x5QtS

(Foto - Conselho Nacional de Justiça)


 



https://www.facebook.com/autismointervindoeinteragindo

                                          (Flávia Abib)


Libélulas


terça-feira, 2 de dezembro de 2014

DEMÊNCIA NA DOENÇA DE ALZHEIMER DE INÍCIO PRECOCE

DEMÊNCIA - síndrome decorrente de uma doença cerebral, usualmente de natureza crônica ou progressiva, na qual há alteração de múltiplas funções corticais superiores (comportamentos complexos que exibimos quando acordados - conscientes), incluindo memória, pensamento, orientação , compreensão, cálculo, capacidade de aprendizagem, linguagem e julgamento. Geralmente esses comprometimentos veem acompanhados e ocasionalmente procedidos por deterioração no controle emocional, comportamento social ou motivação. A demência ocorre na doença de Alzheimer, nas doenças cerebrovasculares e outras condições que afetam o cérebro.
A demência produz um declínio significativo no funcionamento intelectual e usualmente interfere nas atividades pessoais do dia a dia (limpeza, vestimenta, alimentação, higiene pessoal, atividades fisiológicas).
O requisito primário para o diagnóstico é a evidência de um declínio tanto na memória quanto no pensamento.




DEMÊNCIA NA DOENÇA DE ALZHEIMER DE INÍCIO PRECOCE




A doença de Alzheimer é uma doença cerebral degenerativa de etiologia (causa, início) desconhecido, com aspectos neuropatológicos (doenças do sistema nervoso) e neuroquímicos característicos (processos químicos do cérebro). Instala-se  geralmente de modo vagaroso, e desenvolve-se lenta mas continuamente por um período de anos; estes por sua vez pode ser tão curto como 2 ou 3 anos, como mais prolongados.
O início pode ser na meia idade ou até mais cedo (doença de Alzheimer de início pré senil), mas a incidência maior é na idade avançada.
Há alterações características no cérebro: uma redução marcante dos neurônios, em especial do hipocampo, entre outras. Também há alterações neuroquímicas, como redução marcante da enzima colina acetiltransferase (neurotransmissor  responsável pela contração de músculos (um dos principais) e pela aprendizagem e memória).



A doença de Alzheimer de início precoce inicia-se antes dos 65 anos de idade e com rápida progressão de sintomas. Há deterioração relativamente rápida, com marcantes e 

múltiplos transtornos das funções corticais superiores. Afasia (perda da fala), agrafia (perda da destreza da escrita), e apraxia (perda da capacidade de  efetuar tarefas que requerem padrões de evocação ou sequências de movimentos), ocorrem cedo no curso da demência.



História familiar dessa doença é um fator contribuinte, mas NÃO necessário para o diagnóstico.




Sintomas importantes para o início dessa doença:

  1. Perda de memória, especialmente de acontecimentos recentes;
  2. Dificuldade em executar tarefas do cotidiano, como usar o telefone;
  3. Desorientação com relação ao tempo e espaço;
  4. Problemas de discernimento, como dificuldade em se vestir de acordo com a estação do ano, por exemplo;
  5. Problemas de linguagem, como esquecimento de palavras simples associado à dificuldade de compreensão da fala e da escrita;
  6. Dificuldade em fazer contas ou mesmo reconhecer os números;
  7. Trocar o lugar das coisas, como colocar o ferro de passar roupa na geladeira, por exemplo;
  8. Alteração brusca do humor sem razão aparente;
  9. Alteração na personalidade de modo a se identificar na pessoa apatia, confusão ou desconfiança;
  10. Perda de iniciativa, com características de desinteresse pelas atividades habituais.
Infelizmente a doença de Alzheimer é atualmente irreversível.

 


(Bibliografia de apoio CID-10/ F00.0)

                                                     FLÁVIA ABIB


terça-feira, 25 de novembro de 2014

TRANSTORNO DE PERSONALIDADE BORDERLINE



Transtorno de personalidade BORDERLINE

Primeiramente é necessário definir transtorno da personalidade, presentemente, a psiquiatria: personalidade descreve o resultado da interação entre variáveis neurobiológicas inatas, ou temperamento, com as experiências psicossociais precoces, consideradas como as que mais contribuem para a construção do caráter de cada um. 
Os traços de personalidade se referem ao estilo peculiar que cada pessoa traz para seu relacionamento interpessoal e social. Sendo assim, as características básicas do transtorno de personalidade BORDERLINE, por sua vez, são um padrão geral de instabilidade nos relacionamentos interpessoais, nas manifestações afetivas e na própria auto imagem, associado a uma acentuada impulsividade, cujo início pode estar presente na infância e adolescência, mas que costuma ser manifesto no início da vida adulta. (DSM-IV)
Essas pessoas costumam ter respostas intensas diante de situações de separação, são hipersensíveis às vivências de abandono e tratam de desenvolver esforços catastróficos e inadequados para evitá-las, com reações desproporcionais de raiva, acusações ou comportamentos automutilantes e suicidas, que frequente despertam reações ansiosas de culpa e superproteção por parte das pessoas a quem são endereçadas ou, ao contrário, um aumento do próprio rechaço que o Borderline tanto quer evitar. Seus relacionamentos afetivos tendem a ser instáveis, intensos e turbulentos. 

São pessoas simpáticas e agradáveis, mas em sua intimidade são explosivas, agressivas, intolerantes, irritáveis, com tendência a manipular. 
Apesar de ter algumas características semelhantes ao transtorno afetivo bipolar do tipo dois, no transtorno Borderline, as oscilações de humor ocorrem com maior frequência, às vezes até em questão de minutos ou horas. Além disso, os traços depressivos do Borderline se caracterizam por sentimento de vazio e solidão; e raramente se manifestam juntamente com sentimento de culpa, autoacusação e/ou remorso.
BORDER - fronteira LINE - linha
Borderline - Fronteiriços - estão no limite entre a neurose e a psicose.
Flávia Abib

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Gratificação/ Gentilezas/ Afetos


Freud dizia que "somos capazes de nos defender de um ataque, mas jamais de um elogio."



Existem pessoas que chegam não sei de onde, vem através não sei do que, por onde, como, que com uma simples palavra mostra a alma inteira, o coração todo. Nessas horas ficamos indefesos...indefesos diante da sinceridade, diante da transparência, diante do afeto. Por isso amo os reflexos do meu espelho, os diferentes reflexos, que constituem um prisma divino de cores e formas...!
                         Flávia Abib

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Força



Você tem força necessária para enfrentar qualquer luta, batalha, desafio. Essa força está em seu coração, abra-o e deixe o amor agir!
                                           Flávia Abib




EGO





Ah...o ego, capaz de elevar-se ao topo em segundos. Ao topo, no auge do narcisismo. E como faz bem, e como nos sentimos recompensados, donos do mundo, da verdade mais ilusória. Mas não se esqueça nunca: o mesmo motivo pelo qual Narciso apaixonou-se por si...e não por "TI", foi o mesmo motivo que o destruiu...o EGO.
                                                Flávia Abib

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Luz da tua alma



Minha essência é amor. Minha essência vem da luz da tua alma.

                              Flávia Abib

Viver



Quando você elabora teus conflitos internos, você se encontra. Quando você se encontra, você e o teu eu verdadeiro, você perde o medo, você VIVE.

                               Flávia Abib

              


PSICOPATIA

            
   

PSICOPATIA
   

"Psicopatas normalmente vivem por ocultar suas intenções debaixo de uma aparência sedutora ou de amabilidade e cortesia. Mesmo aparentando um comportamento dócil e intenções de proteger certas pessoas, por trás disso, tal dissimulação esconde uma pessoa fria, calculista e falsa, caracterizando um indivíduo excessivamente manipulador. São cínicos e, apesar de fingir com maestria não conseguem amar no seu intimo, não conseguem manter um relacionamento leal e duradouro por anos, sobretudo por sua incapacidade de tolerar rotina e monotonia. Psicopatas dificilmente se apegam a alguém, detestam relacionamentos que invadam sua privacidade e intimidade, e quando os têm, não duram por muito tempo. Traem facilmente a fidelidade do parceiro, uma vez que não sentem empatia nem culpa."

(Ana Beatriz Barbosa)

                                                            Flávia Abib

Dissimulação

Pessoas "Dissimuladas"
 Dissimulados são como bactérias, estão sempre por perto e, quando você menos imagina, eles tentam aproveitar-se da sua baixa imunidade para desferir o golpe fatal. Trata-se de um golpe indolor no corpo, mas de EFEITO DEVASTADOR NA ALMA.
Quem é o ser dissimulado? Aquele que tem o hábito de enganar, mentir, rir da desgraça alheia, tripudiar às escondidas e utilizar a hipocrisia com facilidade ainda que lhe pareça a criatura mais dócil e educada do mundo.
O dissimulado é capaz de rir e chorar junto contigo. Seus objetivos são claros. Com a mesma sutileza, ele consegue puxar o seu tapete e enxugar as suas lágrimas depois da queda. O mundo mudou, porém os dissimulados resistem há séculos. Eles se adaptam facilmente, questão de sobrevivência.
Dissimulado que se preze tem cara de anjo e fala mansa. É prestativo e demonstra grande interesse pelas coisas que você faz e que você diz, entretanto, todo cuidado é pouco.
A pessoa dissimulada faz o ato e depois diz: "Não fui eu!!!! Foi o outro...".
                                              Flávia Abib










Falsidade


Falsidade é a característica do que não é verdadeiro.
De fato, o ser humano muitas vezes se sente, na nossa sociedade, quase obrigada a ser falso. A mentira, o engodo, o engano, a falsa aparência, a esnobação e a desfaçatez são gêneros de primeira necessidade nos relacionamentos entre as pessoas. O orgulho e a busca de reconhecimento trazem consigo a necessidade quase inadiável de aparentar algo que não se é.
A falsidade em sua concepção traz à pessoa certos proveitos, como, por exemplo, omitir sua condição, mostrar-se de maneira diferente para levar vantagens, obter lucros, ascensão social, desmoralizar outras pessoas, entre outros.
Essa parece ser a ética do mundo. Rui Barbosa, o grande jurista brasileiro, afirmou certa vez, dentre outras coisas, que de tanto ver triunfar a mentira e a falsidade, tinha até vergonha de ser honesto.

É fácil tornar um relato mais interessante acrescentando a ele alguns detalhes, como também é fácil fraudar uma história quando lhe dispensamos uma omissão ou ação. É simples deduzir que não existe o que se pode chamar de “falsidade particular”, ou seja, uma informação fora do verdadeiro não prejudica somente a pessoa que a pratica.

(Wikipedia)


                                                         Flávia Abib

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

AUTISMO

                    



O transtorno autista é caracterizado por interação social recíproca anormal, habilidades de comunicação atrasadas e disfuncionais e um repertório limitado de atividades e interesses. Muitas dessas crianças não apresentam lateralização e permanecem ambidestras em uma idade na qual a dominância cerebral está estabelecida em crianças ditas "normais". Os autistas não apresentam sinais sutis de interação social com seus pais e outras pessoas. Seu desenvolvimento social é caracterizado por comportamento de apego prejudicado, mas não totalmente ausente. Uma característica cognitiva desse transtorno é que não conseguem deduzir os sentimentos ou o estado mental dos outros à sua volta. Tem padrões restritos, repetitivos e estereotipados de comportamento, interesses e atividades. 
Os autistas apresentam uma faixa acentuada restrita de interesses e com frequência se preocupam com uma área de interesse limitado (por ex: datas, números de telefone, etc). Podem enfileirar um número exato de brinquedos da mesma maneira repetidas vezes ou imitar por vezes as ações de um ator de televisão. Podem insistir na mesmice e apresentar resistências a mudanças triviais. Os movimentos estereotipados envolvem as mãos (bater palmas, estalar os dedos) ou todo o corpo ( balançar-se, inclinar-se abruptamente ou oscilar o corpo). Apresentam também preocupação persistentes com partes de objetos (botões, partes do corpo). Pode haver ainda uma fascinação com o movimento em geral (por ex: rodinhas dos brinquedos em movimentos, abrir e fechar de portas, ventiladores ou outros objetos com movimento giratório rápido.
(Compêndio de Psiquiatria / DSM - IV)

"Vivendo na beira do medo,
Vozes ecoam como trovão em meus ouvidos,
Vendo como eu me escondo todo dia.
Estou apenas esperando que o medo vá embora,
Eu quero muito ser uma parte do seu mundo.

eu quero muito ser bem sucedido,
e tudo o que preciso é ter uma ponte,
uma ponte construída de mim até você,
e eu estarei junto à você para sempre,
nada poderá nos separar,
se você me construir uma ponte, uma pequena, minúscula ponte
de minha alma, para o fundo do seu coração."

(Mc Kean, autista, escritor)
                                                                             Flávia Abib

Gratidão e Afeto

                    

                   GRATIDÃO E AFETO

Viva


VIVA O HOJE! VIVA CADA SEGUNDO!
 VOCÊ É SEU MAIOR TESOURO!!!!
  
FLÁVIA ABIB

domingo, 2 de novembro de 2014

TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo

TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo




As características essenciais do Transtorno Obsessivo-Compulsivo são as obsessões e as compulsões.

As obsessões são ideias, pensamentos, impulsos ou imagens persistentes que são vivenciadas como intrusivos causando grande sofrimento ou ansiedade. O indivíduo não tem controle sobre essas obsessões, porem, é capaz de reconhecer que tais obsessões são produtos de sua mente e não do meio externo. Ex: medo de apertar a mão de alguém e ser contaminado.
As compulsões são os comportamentos repetitivos (lavar as mãos, verificar)ou atos mentais (contar, orar,, repetir palavras em silêncio), com o objetivo de prevenir ou reduzir a ansiedade ou o sofrimento, em vez de oferecer gratificação.
Na sua maioria os indivíduos não reconhecem que as obsessões e compulsões são excessivas e irracionais.
Frequentemente eles se esquivam de situações que possam envolver o conteúdo das obsessões, como sujeira ou contaminação.
Preocupações hipocondríacas são comuns; culpa; pode haver ainda uso excessivo de álcool ou medicamentos sedativos, hipnóticos ou ansiolíticos.
Esse transtorno pode estar associado ao Transtorno Depressivo Maior, outros Transtornos de Ansiedade, Transtorno do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno da Alimentação e alguns Transtornos de Personalidade.

As superstições e comportamentos repetitivos de verificação são encontrados com frequência em nossa vida cotidiana. Portanto para se fechar o diagnóstico do TOC há a necessidade de seguir todos os aspectos e sintomas onde, esses devem estar consumindo tempo considerável, prejuízo ou sofrimento clinicamente significativos. .....................F.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> (DSM-5)

                                                              Flávia Abib

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Mimos